Blog GoNext

Capitalismo consciente é tema do lançamento do GoNext Herdeiros e Sucessores

O direcionamento dos investimentos já desenha um novo perfil a nível global. Nada mais normal, nos últimos anos dos círculos de investimentos, que as empresas sejam analisadas segundo as metas da Agenda 2030 da ONU. Os fundos de investimento responsável movimentam, hoje, 31 trilhões de dólares, o que representa 36% dos ativos financeiros geridos em todo o mundo. 

 

O lucro perdeu protagonismo nas histórias de sucesso de empresas há muito tempo. Mas hoje, as demandas dos consumidores por essa responsabilidade aumentam, a escolha dos investidores pressiona e a transparência e o acesso à informação colocam sob uma lupa as decisões de gestão de qualquer companhia.

 

Pensando na alta gestão do amanhã, a GoNext Governança & Sucessão lançou nesta terça-feira, 16, o fórum GoNext Herdeiros e Sucessores.

 

Neste primeiro encontro, o tema Capitalismo Consciente e as empresas do amanhã foi apresentado por Guilherme Massena, cofundador da Dobra, palestrante TEDx, entusiasta de empresas como vetores de mudanças sociais.

 

Propósito > Lucro

Passamos hoje pela quebra do “capitalismo-raiz”, a forma de capitalismo tradicional que propõe o lucro e sua constante maximização como razões de existir das empresas.

 

Para apresentar este novo olhar, Guilherme Massena inicia o GoNext Herdeiros e Sucessores com as pesquisas desenvolvidas por John Mackey e Raj Sisodia que resultaram na obra Capitalismo Consciente.

 

O resultado do propósito social das empresas, e como conseguir estruturá-lo de forma efetiva, é o foco da obra, mostrando o quanto ressignificar o capital para uma visão holística da empresa na sociedade está ligada a diferentes vias e qualidades de retorno. 

 

Segundo o estudo apresentado por Massena, as empresas que têm propósito social claro, objetivo e de resultados práticos têm duas vezes mais retorno nos investimentos.

 

“O papel dos negócios é criar valor. Não só o valor financeiro, mas também no âmbito social e ambiental. A empresa com propósito maior tem um porquê de existir para além do lucro, uma cultura consciente que vai conduzir as pessoas ao propósito maior, e uma orientação de resultados focada em todos os stakeholders e não somente nos acionistas”, explicou Guilherme. 

 

Ou seja, os resultados da empresa também devem ser mostrados em quantos vidas as ações impactaram, o quanto ela reduziu seu potencial poluidor e outras métricas para além das financeiras.

 

“Neste cenário, o lucro é uma consequência de um trabalho de impacto bem feito. O impacto real da sua empresa só será sentido quando o seu propósito transformador massivo for verdadeiro e executado”, orientou.

 

O Propósito Transformador Massivo é o que as 500 empresas que mais crescem no mundo têm em comum, segundo pesquisa apresentada no livro Organizações Exponenciais, de Ismail Salim, S.Malone Michael e Van Geest Yuri.

 

Na missão de encontrar um Propósito Transformador Massivo, alguma perguntas podem nortear os gestores:

  • Por que minha empresa existe?
  • Qual diferença minha empresa traz para a sociedade?
  • Se minha empresa desaparecer amanhã, quem vai sentir falta dela?

 

Para além das planilhas de resultados

“Precisamos trazer mais discussões de ética, debates filosóficos e morais para dentro das empresas, saindo da exclusividade das planilhas de resultados, das metas e dos OKRs. Empresas que querem uma presença relevante daqui pra frente precisam ser muito mais que esses dados, apresentou o cofundador da Dobra ao trazer o estudo Empresas Humanizadas aos integrantes do GoNext Herdeiros e Sucessores.

 

A Dobra é uma das empresas nacionais que entraram para a lista de empresas humanizadas da pesquisa. O estudo foi realizado com as 1.115 maiores empresas do Brasil e apresentou dados que mostram bem essa nova realidade.

 

Mesmo operando em ambientes de crise de governança, ambiental, social e econômica, nossas pesquisas revelam que organizações que operam em níveis mais elevados de maturidade de gestão possuem resultados de outro nível de qualidade.

 

  • Negócios mais Humanizados resultam em +224% em funcionários mais engajados
  • E os clientes se engajam + 239% com essas marcas

 

“As pessoas se conectam com negócios humanizados. Sejam funcionários trabalhando mais felizes, entregando mais resultados porque sabem que seu trabalho têm impacto positivo na sociedade, sejam os clientes que buscam cada vez mais direcionar seu dinheiro para empresas que praticam retorno social”, apresentou Massena.

 

Guilherme ainda apresentou o case da WholeFoods, que criou uma dinâmica completa de conexão com a economia local, o case da Patagonia, que criou um projeto de logística reversa, entregando vantagens aos consumidores que devolvem as roupas para reciclagem, e o case da Reserva,que utiliza 95% dos insumos locais e reverte compras em refeições para pessoas em vulnerabilidade. 

 

“O Warren Green, um dos fundos de investimento verde nos parâmetros ESG, teve uma rentabilidade de 48% em 2020, em meio ao caos da pandemia. As empresas ESG estão mais do que conseguindo sobreviver na crise, elas estão impactando a vida de pessoas e entregando mais resultados sociais, resultando em resultados financeiros muito melhores que as demais”, explicou.

 

“Empresa que trabalha com propósito constrói legado. Construir legado garante sobrevivência na atual crise e no mercado daqui para frente”, finalizou o palestrante. 

 

GoNext Herdeiros e Sucessores

O GoNext Herdeiros e Sucessores foi criado a partir da experiência de mais de 10 anos de mercado da GoNext. 

 

Criamos um ambiente de evolução contínua para herdeiros de empresas familiares ou sucessores da gestão, oferecendo abordagem de temas relevantes, compartilhamento de experiências e know-how, network e insights de alto nível.