Blog GoNext

Liderança Transformacional no GoNext Herdeiros & Sucessores

O mapa para guiar ações estratégicas está cada vez mais volátil e o destino das organizações precisa de constantes reinvenções. O papel da liderança empresarial precisa de mais atenção e cuidado para dar conta de impulsionar times em meio ao caos. Com isso em mente, o GoNext Herdeiros & Sucessores de junho foi realizado na última quinta-feira, 10, com o tema “Ser um Líder Transformacional”.⠀

 

O professor e especialista Roberto ‘Bob’ Hirsch, diretor e consultor do Instituto OPUS, professor do MBA e da Pós-Graduação da ESPM, mestre em Psicologia da Saúde e do Trabalho pela Universidade São Marcos, foi o responsável por apresentar o que é desenvolver este perfil de liderança diante dos desafios reais das relações humanas no ambiente corporativo.

 

 

Hirsch é facilitador de programas internacionais de coaching de lideranças e autor de diversos títulos publicados pela Editora Ser Mais. Todo esse repertório e experiência foi apresentado em um conteúdo completo e de fácil compreensão, em um momento de diálogo aberto com os herdeiros e sucessores integrantes do fórum.

⠀⠀

“Nosso mundo é tão complexo e volátil que até nossos planejamentos a curto prazo estão passando por reformulações constantes. Na liderança transformacional, uma das primeiras coisas a se fazer é eliminar os conceitos de certo e errado. Dentro do certo e do errado não se abrem possibilidades. Ser um líder transformacional é conseguir lidar com não ter respostas certas”, provocou o palestrante, apresentando o conceito de Mundo VUCA (Sigla em Inglês para Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo).

 

Assim, a expertise de direcionar negócios fica cada vez mais interconectada com a capacidade de acolher o incerto e as possibilidades que cada pessoa é capaz de abrir em uma equipe. Neste movimento, a comunicação é protagonista.

 

Como se comunicar para a transformação

“A principal questão da liderança transformacional é a comunicação. Mas não é só o que está na palavra. Sua ação precisa ser coerente com a sua palavra. Isso é ser inspirador, influente, isso é ser transformacional”, apresentou.

 

Segundo o professor, as incertezas do mundo trazem grande nível de ansiedade para as tomadas de decisão. O papel de um líder que busca ser transformacional, ou seja, inspirador de transformações positivas, é trazer para sua comunicação segurança, positividade e coerência.

 

Abraçar as vulnerabilidades, internamente e na forma como nos comunicamos, é difícil e exige que o líder tenha um alto senso de empatia. 

 

“Queremos julgar os outros com base nos seus comportamentos, mas queremos ser julgados com base em nossas intenções. Construir credibilidade também passa pelo não julgar. Essa incoerência é o que mais atrapalha sua credibilidade para influenciar e ser um líder transformacional”, apresentou Roberto Hirsch.

 

Influenciar é olhar para dentro

Como você olha para sua equipe, organização e comunidade de aprendizagem? O diretor e consultor do Instituto OPUS apresentou reflexões que fazem parte da obra ‘A Quinta Disciplina: arte e prática da organização que aprende’, de Peter M. Senge.

 

Abaixo, alguns parâmetros de reflexões e provocações apresentadas por Hirsch que são capazes de induzir um comportamento transformacional:

 

  • Cultura e Valores: o que se diz é praticado? Há coerência entre discurso e prática?;
  • Pensamento Sistêmico e Trabalho em Equipe: cada integrante faz parte de um todo. É preciso despertar essa consciência;
  • Inteligência Emocional: quebrar o raciocínio de “não levo trabalho para casa e problemas pessoais para o trabalho”. Isso é uma falácia, pois somos um todo complexo. Aprender a reconhecer, validar e a lidar com as emoções humanas é fundamental;
  • Coaching/Mentoring como estilo de gestão: é ter uma postura de amparo na trajetória de cada indivíduo, com incentivo e parametrização de conquistas e compartilhamento constante de experiências e conhecimento;
  • Ferramentas Conversacionais: escutar melhor, para dialogar melhor. Desenvolver de forma constante as habilidades de comunicação necessárias para gerar influências positivas.

 

“Ser um líder transformacional é entender que você vive um processo permanente de aprendizagem. E que passa principalmente por assumir responsabilidades. Parece fácil, mas não é. Quais são suas responsabilidades integrais? Você conhece e responde a 100% do que é sua responsabilidade?”, compartilhou Roberto.

 

Assim, aprender a ser um líder transformacional é estar em constante ação e em constante aprendizagem. É ser agente, ser protagonista.

 

Ao final do encontro, Hirsch apresentou uma série de leituras essenciais para o autoconhecimento e desenvolvimento de habilidades de liderança.

 

O GoNext Herdeiros & Sucessores é uma experiência que alia conteúdos de desenvolvimento a experiências de relacionamento para impulsionar a performance de futuros líderes em empresas familiares.