Blog GoNext

GoNext CEO apresenta estratégias práticas para políticas de diversidade eficazes nas organizações

O fórum GoNext CEO convidou Guilherme Bara, sócio da MAC Consultoria em Diversidade, Protagonismo e Meio Ambiente, para debater o tema “Diversidade. O que os CEOs têm a ver com isso?”, na última quinta-feira, 20.

 

Guilherme Bara é consultor de desenvolvimento, implementação e gestão de programas corporativos de diversidade e inclusão, tendo participado do amadurecimento organizacional de mais de 40 empresas no último ano.

 

O consultor já liderou o time global de diversidade e inclusão da BASF na América Latina e possui um extenso portfólio de palestras e apresentações de destaque, como a fala no TEDx.

 

Guilherme é cego e estudou, desde jovem, como a deficiência e a mobilidade impactam a vida de cidadãos e cidadãs no ambiente de trabalho. O tema diversidade e inclusão tem tomado grandes proporções nas redes e nos debates públicos, mas ainda desafia as corporações a olharem para dentro e compreenderem qual o seu verdadeiro papel neste movimento.

 

“Para avançar com consistência o tema, é preciso muito mais do que paixão. Você precisa de gestão, governança, indicadores. Você precisa tangibilizar e trazer objetividade para essa conversa”, apresentou o consultor, ao descrever como conduziu com sucesso sua atuação na BASF.

Por que a diversidade está na agenda da gestão?

Bara já trabalhou com marcas como Faber Castell, Volkswagen e DrogaRaia e ressaltou, no GoNext CEO, a importância de deixar objetivamente explícito o que é prioridade quando trazemos diversidade e inclusão para a agenda da alta gestão.

 

“É sobre investir num ambiente onde as pessoas tenham suas características pessoais e individuais respeitadas e valorizadas. Promover um ambiente assim é o básico do básico de um ambiente corporativo saudável. Isso, logicamente, vai impactar no sentimento de pertencimento, na produtividade, na capacidade de atrair talentos”, orientou.

 

A contribuição estratégica direta de uma política de diversidade e inclusão traz resultados em 4 áreas:

  • Atração e retenção de talentos
  • Equipes mais criativas e inovadoras
  • Gestão da reputação
  • Melhor reconhecimento sobre os mercados e clientes

 

“Por opção, as pessoas não vão querer trabalhar e contribuir com um ambiente no qual ela precisa deixar uma parte de si do lado de fora”, explicou. “O impacto de um ambiente de respeito à diversidade na inovação, por exemplo, é sobre a diversidade de pensamento. O quanto estamos abertos a pensamentos diferentes dos nossos? Geralmente, nós temos essa dificuldade. Vocês, como gestores, é que vão dar o tom dessa conversa na empresa”.

 

Existe, claro, um discurso social de lutas e de afinidades que movimentam cada indivíduo de forma subjetiva. Dentro das corporações, no entanto, o debate não é sobre como o mundo externo pauta as decisões empresariais, mas como os indivíduos da sua equipe fortalecem seu potencial de negócio.

 

“Debate sobre quem é o opressor ou quem é o oprimido é uma outra conversa. A conversa da diversidade no ambiente corporativo é ampliar a visão de que a união de indivíduos únicos e diferentes entre si é capaz de trazer resultados de negócio mais fortes. Simples assim. É sobre complementaridade”, apresentou.

Estágios para amadurecer esta mentalidade

Segundo Guilherme Bara, o caminho para destravar a capacidade da alta gestão de avançar no tema diversidade passa por três estágios:

 

  • Reconhecer: o primeiro estágio, diagnosticar o que precisa ser melhorado;
  • Respeitar: trabalhar em equipe é respeitar o que você não conhece e o que você não concorda, uma cultura de acordos a favor do respeito. Não é preciso concordar ou se dar por convencido, é preciso respeitar;
  • Valorizar: investir na gestão da diversidade para perceber o impacto dela na capacidade de atração de novos clientes e talentos.

 

O consultor desenhou orientações práticas como criação de comitês de diversidade, explicando formas de como conduzi-los de maneira profissional e sem cair no erro de acreditar que apenas um grupo de profissionais apaixonados pelo tema é a solução para alcançar políticas eficientes, seja para PcDs, população LGBTQIA+, equidade de gênero e outros níveis de diversidade.

 

“Se vocês querem melhorar a diversidade, façam com o tema aquilo que a alta gestão faz com qualquer tema que queira aprofundar para aprimorar. Tenham metas. Elas que vão disparar um plano de ação para trazer resultados. Para construir metas que param de pé é preciso avaliar indicadores estratégicos, e isso vai da análise da proporção de contratações, premissas de saídas, evolução anual desses índices e outras”, explicou.

 

“O objetivo é garantir que o respeito, a equidade e a não discriminação não dependam de um CPF bem intencionado dentro da organização, mas de ações concretas do CNPJ”, finalizou.

 

Ao final da palestra, os presidentes de conselhos compartilharam suas experiências e obtiveram orientações personalizadas do consultor.

 

GoNext CEO

Ter um ambiente moldado para discussões urgentes, com networking qualificado e foco na performance estratégica do negócio pode mudar como você planeja o desenvolvimento da empresa no mercado.

 

É isso que o fórum GoNext CEO faz por você. Conheça as atividades do grupo e faça parte deste movimento contínuo de desenvolvimento.