Blog GoNext

GoNext Fórum debate Cultura de Inovação nas empresas

Nesta quinta-feira, 13, o GoNext Fórum convocou Paulo Sérgio Silva, popularmente conhecido como Paulão, para compartilhar experiências em relação à essência de uma “Cultura de inovação nas empresas”. 

 

Paulão é fundador e diretor executivo da RockOn Advisors, além de membro independente de conselhos de empresas como Ri Happy, Marisa e Marilan. São mais de 25 anos liderando times e desenvolvendo estratégias de resultados. ⠀

 

O especialistas foi CEO do Walmart.com Brasil e Vice-Presidente global da área comercial do portal Terra, reunindo cases que comprovam seu pioneirismo na transformação digital com alcance em toda a América Latina, desde os anos 1980.

 

O primeiro passo da conversa foi desmistificar de onde nasce a transformação digital de um negócio. “Contratar um profissional que entende de digital, na maioria dos casos, não é o que vai acelerar sua empresa. A transformação digital precisa ser uma agenda do chairman, do CEO, do presidente do conselho”, provocou Paulão. “O quanto estou estruturando o primeiro escalão da companhia a efetivamente pensar diferente e raciocinar com a cabeça da internet? Comece por aí”, orientou.

 

Transição para a jornada digital

Isso reflete a transformação do modelo mental dentro das organizações: pensar a resolução de problemas tendo o cliente como indivíduo (não mais um ticket médio), e as soluções digitais como norte desta resolução.

 

“No futuro, todas as empresas serão de tecnologia. Se você vende biscoito, você precisa ser uma empresa de tecnologia”, argumentou o especialista. “Temos que sair da visão de que tecnologia é projeto e trazer a tecnologia para o coração das tomadas de decisão.”

 

A ideia central é investir em assimilar a movimentação comportamental do nosso tempo. Existe também, nessa ideia, a quebra de hierarquias e de segmentação de áreas. “O profissional de marketing precisa entender de tecnologia. Assim como em todas as áreas. O Big Data passa a ser o core das organizações. Você não vai caminhar se não for movimentado a dados”.

 

As diferentes áreas da organização precisam dialogar com a tecnologia, para que ela esteja no centro do planejamento estratégico do seu negócio. 

 

Uma nova economia, um novo olhar para os resultados

No dia a dia, o salto de qualidade para uma cultura de inovação está na conexão entre tecnologia e o exercício contínuo de uma mentalidade aberta ao novo.

 

Para isso, é preciso investir um bom tanto de desapego à forma de mensurar resultados que ainda estão no passado. 

 

“A gente tá acostumado a um arcabouço tradicional de resultados. A gente faz reuniões debatendo os números do passado. Companhias digitais que estão valendo bilhões de dólares hoje no mercado não estão apegadas a essa lógica de dividendos aos acionistas como era padrão antes”

 

Não sobre abrir mão dos resultados financeiros, mas saber que o que gera valor na área digital não está restrito ao recorte de resultados financeiros, dividendos dos acionistas, investimentos na organização. “Um exemplo disso é o Lifetime Value, quantas vezes o cliente vem até minha plataforma, quanto tempo ele passa no meu ambiente digital. Métricas que não geram valor econômico imediato, mas que precisam entrar na sua interpretação de valor”, orientou.

 

Segundo Paulão, essa é a forma de olhar para o futuro. Pensar o seu negócio pelo modelo de Mandala Digital. “A mandala digital é o esquema em que cada parte de transformação, cada área coordenada, te ajuda na narrativa de valor, convergindo em valor. Assim, consigo trazer talento, investimento e a transformação de posicionamento da organização”, explicou o profissional, apresentando o case da Marisa, que evoluiu da narrativa “De mulher para mulher” para “A plataforma da mulher brasileira”.

 

Pessoas são o foco: dentro e fora da empresa

Paulo Sérgio apresentou como as pessoas têm ressignificado o valor das empresas. Seja da porta para fora, seja da porta para dentro.

 

“A nova geração quer atenção. Isso não é baixa resiliência. Essa geração quer ser percebida e esse talvez seja um dos maiores desafios dos CEOs”, apresentou Paulão. 

 

A geração hiperconectada sabe lidar com muitas transformações e com a dinâmica de uma cultura inovadora. Mas eles só respondem com engajamento e ideias inovadoras se eles se sentirem indivíduos ouvidos. Por isso, a importância de reorganizar as empresas em Sprints, segmentar por projetos, e não unicamente por departamentos.

 

Da mesma forma, os consumidores exigem mais agilidade na resposta individual e dão cada vez mais valor à experiência que ao preço. “A experiência que se oferece na loja deve ser tão qualificada quanto a que se oferece no digital. O consumidor não vai mais fazer distinção entre on-line e off-line. Ele vai querer experiência.”

 

“Nós já saímos da geração que foi doutrinada a ver valor em ‘10X sem juros, frete grátis, maior desconto’, para a geração que ‘quer agora, com experiência incrível’. Isso vai te tirar do mundo do preço mais baixo e te colocar no mundo da evolução do consumidor”, finalizou.

 

GoNext Fórum

O diferencial do sucesso de um negócio está na visão de futuro dos tomadores de decisão. Por isso, o GoNext Fórum reúne CEOs, presidentes de conselhos e demais lideranças em uma programação de eventos focada no amplo debate sobre interesses comuns de todos os agentes da alta gestão que querem se destacar no mercado do amanhã.

 

Espaço plural de trocas de experiências com especialistas e executivos de empresas de diferentes segmentos e de empresas familiares de todos os portes.